alta cultura

na faixa

O Casamento Suspeitoso

A obra “O Casamento Suspeitoso” do consagrado dramaturgo, romancista e poeta brasileiro Ariano Suassuna, estreia sob direção do premiado Sérgio Ferrara. O texto escrito há mais de 50 anos traz o universo nordestino. A peça é uma comédia de costumes e o velho casamento por dinheiro é o fio condutor da trama. O casal é Geraldo e Lúcia. Ela, uma moça vinda da capital de Recife, deseja se casar o mais rápido possível com o filho único de uma rica família. Ele está preste a receber uma gorda herança e nem desconfia que a sua noiva é uma trambiqueira, acompanhada da mãe Susana e seu amante Roberto Flávio. A atitude da jovem casamenteira desperta dúvidas em amigos e familiares do rapaz apaixonado, e a mãe do rapaz, Dona Guida, desconfiando da índole da moça, faz tudo para acabar com o enlace. Os empregados da família, Cancão e Gaspar, também se envolvem na história para tirar vantagem da situação. Personagens se passam por outros, tramóias planejadas, cenas absurdas e engraçadas recheiam a trama. Com: Marco Antônio Pâmio, Rogério Brito, Bete Dorgam, Nicolas Trevijano, Suzana Alves, Nani de Oliveira, Joaz Campos, Abraão Farc, Sonia Maria, José Rosa, João Paulo Soran e Breno Amparo.

serviço

o quê: O Casamento Suspeitoso (80 minutos)
quando: até 4 de dezembro, às 20h
onde: Centro Cultural Fiesp- Teatro do Sesi (456 lugares)
endereço: Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp
entrada: gratuito apenas nas quintas e sextas. Retirar ingressos das 12h às 20h
telefone: (11) 3146.7405
classificação: 14 anos
informação:www.sesisp.org.br/

06/10/2011 Posted by | teatro | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Pororoca

O espetáculo Pororoca, de Zen Salles, é resultado de um processo de formação proposto pelo Núcleo de Dramaturgia SESI – British Council e coordenado pela jornalista e dramaturga Marici Salomão. Segunda montagem do Núcleo de Dramaturgia SESI – British Council, o espetáculo inédito tem direção do premiado Sérgio Ferrara. O autor maranhense foi buscar nas lendas e mitos de sua terra natal a matéria-prima para a construção dessa peça, narrando todo o impacto que a pororoca – que significa “onda destruidora” no dialeto indígena – causa entre os ribeirinhos do Mearim. O real e o fantástico também se encontram e se misturam entre os seus personagens, que esperam a “onda medonha” passar, transformando a vida de pescadores que viram peixe, de quebradeiras de coco babaçu que se encantam com surfistas da pororoca, de brincantes do bumba-meu-boi que tiveram suas pernas devoradas pelas piranhas do rio, e de mulheres rendeiras que bordam no bilro todo o seu desejo reprimido. A peça, que intercala cenas tensas e descontraídas, fala da alegria e do senso de humor característico do povo brasileiro, apesar de todas as dificuldades.

serviço

o quê: Pororoca (90 min)
quando: até 19 de dezembro, quinta a sábado, às 20h30 e domingo às 19h30
onde: Centro Cultural Fiesp – Mezanino (50 lugares)
endereço: Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp
entrada: gratuita. Retirar ingresso na bilheteria do teatro, das 12h às 20h30
telefone: (11) 3146.7405
classificação: 18 anos
informação:www.fiesp.com.br

01/10/2010 Posted by | teatro | , , , , , , , , , | Deixe um comentário